Gente, quero confessar logo de início que cheguei em Santorini sem nenhuma expectativa, pois tinha lido vários comentários negativos sobre a ilha. Praticamente todo mundo mencionava a decepção com as praias…. Pensava eu, se quem mora em uma cidade não litorânea está se dizendo decepcionado, imagina eu que sou nascida e criada nas praias do nordeste (perdoem-me pelo bairrismo)!

Bom, no caminho entre o aeroporto e o nosso hotel, achei tudo muito árido, em que pese a beleza da cor do mar.

Porém, ao chegar no Hotel pensei: isso aqui é o paraíso, a pedra preciosa que carregarei para sempre, não no dedo, mas na minha memória e no meu coração.

Vista do nosso hotel!

 

Com alguns minutos na ilha, descobri que gostar ou não de Santorini vai depender da localização do seu hotel. Não importa em qual hotel (você precisa encontrar um que seja compatível com seu bolso, claro), mas VOCÊ TEM QUE FICAR EM OIA (se pronuncia ía). O nosso foi o “Oia Suites”, quarto simples, banheiro bom, vista espetacular e café da manhã no quarto (no dia anterior o cliente escolhe os itens do menu que desejar, sem limite). Não pensem duas vezes, nem se impressionem  com o preço dos hotéis. Repiso, ficar em Oia é vital e ponto final.

Apesar de termos alugado carro, do nosso hotel íamos andando para o centro de Oia onde fica o burburinho, as igrejas de telhado azul, o melhor local para o pôr do sol,  os restaurantes renomados, gente bonita, enfim, o melhor de Santorini.

A atração número 1 da ilha é, sem dúvidas, o pôr do sol em Oia. Há muitos pontos legais para apreciação, porém o mais concorrido é o Byzantine Castle Ruins –  que fica lotado de pessoas que desejam apreciar esse apaixonante fenômeno!!!! Nós não ficamos lá, pois não conseguia nem me concentrar para apreciar o evento!!! Preferimos  assistir do moinho que fica próximo às referidas ruínas. Outra opção é chegar um pouco mais cedo e assistir de um dos restaurantes localizados nas proximidades. Não indico esses restaurantes para jantar (temos um post sobre os restaurantes da ilha), mas apenas para tomar um drink e assistir ao pôr do sol.

Moinhos que ficam próximos às ruínas do castelo.

 

Pôr do sol visto das proximidades das ruínas do castelo

 

Mas a melhor forma de assistir ao pôr do sol é de uma embarcação, durante o passeio de barco. Porém, optamos por fazer o imperdível  passeio de barco pela manhã! Sensacional esse passeio! O nosso foi pela empresa Santorini Yachting, referência 52, e custo de  €150  por pessoa, incluídos almoço e bebidas que são servidos no próprio barco (churrasco de porco e frango, risoto de camarão, uma salada dos deuses e uma sobremesa). Nós contratamos no próprio hotel. Nesse barco o máximo são 15 pessoas, contudo geralmente não atinge esse número (no dia que fizemos havia apenas 4 casais). Passa-se pelo Vulcão (isso mesmo, em Santorini há um vulcão inativo), pela “hot springs” ( a água estava menos fria, porém não quente) e por várias praias (Red Beach, White Beach, e outras mais que ficam no caminho até você chegar em Fira).

Nossa embarcação

 

Nosso passeio

 

Há também a opção de fazer o passeio em escunas, com cerca de 70 pessoas, sem refeição incluída, a um custo médio de €33 por pessoa.

Falando em Praia, é bem verdade que as praias de Santorini possuem pedrinhas e não a areia fina com a qual estamos acostumados. Mas não é que adorei as pedrinhas!! Achei que deu um charme especial!!!!! Claro que machucam, então tem que usar uma sandália “papete” ou algo similar que proteja os pés. Ah, havia vários turistas usando sapatilhas apropriadas.

No passeio de barco se conhece as praias, entretanto, apenas de longe, dado que a embarcação ancora no mar para que possamos tomar banho. E que mar…Considero interessante caminhar pelas praias mesmo, pisando nas lindas pedrinhas (por isso Santorini é a minha pedra preciosa). Nós fomos à praia  Kamari e ficamos no bar Kamara Beach. Amamos!!! Ríamos como crianças andando pelas  pedrinhas pretas, que são na verdade rochas vulcânicas, que parecem seixos.

Praia de kamari

 

Como somos apaixonados por vinhos, fomos às seguintes vinícolas: Gavalas e Argyros. Ótimos vinhos brancos!! Mas cuidado, não é raro encontrar lá vinho branco cujo teor alcoólico atinge os 15%.

Adoramos visitar igrejas, por isso fomos à   Panagia of Platsani (fica em Oia, no caminho das igrejas de telhados azuis que todo mundo tira foto)! Ela é bem diferente, escura e com detalhes dourados (não é permitido  fotografar o interior). A igreja fica aberta poucas horas por dia, geralmente pela manhã.

Ainda no assunto  igrejas, penso ser válida uma visita à Catedral Metropolitana Ortodoxa e  à Igreja Católica  (1827 – dedicada a São João Batista), ambas em Fira (Thira), que é a capital da ilha.

Catedral Ortodoxa

 

Igreja Católica

 

Estando em Fira, não deixe de descer o teleférico para conhecer o porto antigo (algumas pessoas sobem de burro, mas eu morro de pena dos animais motivo pelo qual  utilizamos o teleférico também na subida).  Confesso que não gostei muito de Fira, mas não tenho dúvida de que vale a visita!

Não tivemos tempo, contudo, estou certa de que  o Wine Museum é uma excelente atração da ilha!

Se ainda sobrar tempo:

Museu Arqueológico – No acervo há estátuas do período arcaico até o romano, porém o maior destaque são os vasos, em ótimo estado de conservação.

Museu Megaro Gyzi  – Localizado em uma das poucas mansões do Século XVII , abriga seis exposições permanentes com destaque para uma exposição de gravuras autênticas com mapas e manuscritos históricos.

Imerovigli – é a parte mais alta da cidade e vale a visita para apreciar o  pôr do sol. Há quem considere mais bonito que o de Oia, mas eu não concordo.  De lá você pode fazer uma trilha e ir visitar a Skaros Rock, que era uma fortaleza feita para proteger a cidade dos piratas e que hoje oferece uma bela vista da ilha. Fora isso, não tem muito o que fazer lá.

Locomoção em Santorini – Advirto que o transporte público em Santorini é precário,  razão pela qual considero necessário alugar um carro, quadriciclo ou moto. A diária de um carro pequeno é em média €35, com a possibilidade de alugar no aeroporto e devolver no porto (para pegar um ferry para outra ilha) para evitar pagar transfer.

Encerrado o post, bateu saudades…..

Corra e faça sua reserva !!!

E aí, vai na mala?

Leia também nosso post “Santorini, onde e o que comer“.

Mais fotos:

Café da manhã do hotel

 

Teleférico

 

Antigo Porto

 

Ainda do passeio de barco

 

Igreja católica por dentro

 

Catedral Ortodoxa