Tim-tim!

Mendoza é uma cidade que muito tem a nos oferecer, seja sob o prisma da contemplação à natureza ou no campo da enogastronomia. Há passeios que nos brindam com lindas paisagens, vinícolas (ou bodegas, como preferem os argentinos) com mega estrutura, e vinhos magníficos que honram o nosso paladar! Uma viagem que eu indico,  principalmente para grupos. Por que em grupo? Porque o foco de Mendoza, na esmagadora maioria das vezes, é a visita às vinícolas, que se torna mais animada se você estiver entre amigos, pois de uma bodega à outra sempre surge uma “resenha” na van/ônibus, regada a bons vinhos e, claro, fartas gargalhadas! A nossa viagem foi fantástica, do grupo aos vinhos degustados! Tudo perfeito!!

Fizemos um passeio ao Vale do Aconcágua com parada no Dique Potrerillos e  no Monumento Natural Puente Del Inca ! No trajeto nos deparamos com lindas paisagens! Porém, se você vai ficar pouco tempo em Mendoza, pense muito antes de optar por esse passeio, dado que  o percurso é longo, cerca de 5 horas na estrada (ida e volta), e incluindo todas as paradas, alcança  09 horas de duração. O único ponto negativo é a distância…

Dique do Potrerillos

 

Monumento Natural Puente Del Inca

 

 

Aconcágua

 

Na região do Aconcágua

A cidade de Mendoza oferece várias possibilidades de transporte às vinícolas, você pode utilizar ônibus com  roteiro e horários pré-estabelecidos,  alugar um carro com ou sem motorista (não se arrisque ao volante, bebe-se muito nas degustações), ou contratar uma empresa para fazer um “private” (van+guia em português+motorista). Nós contratamos o serviço “private” da “Trout and wine“, e foi show (não estamos fazendo publicidade)! Pagamos 30% no momento da contratação formalizada via e-mail, e o restante em espécie ao final dos serviços! O passeio ao Aconcágua custou US$ 100 por pessoa e cada dia de visita às bodegas saiu por U$$ 120 p.p (o preço varia de acordo com às vinícolas escolhidas). São centenas de bodegas (mais de mil), por isso pesquise e escolha as que você pretende visitar.

No  primeiro dia de visita às vinícolas conhecemos: Catena Zapata,  Ruca Malen e Lagarde.

O grupo elegeu a visita à Catena como sendo a melhor da viagem, no que toca às técnicas de degustação e harmonização. A nossa guia foi espetacular! Se você vai a Mendoza agende seu tour na Catena com a inesquecível Cecília, ao final ela ainda dá uma canja no tango. E não é que ela canta bem!

 

Nosso caminho (Crédito: Azevedo Cartaxo)

 

Fachada da Catena Zapata

 

O Prédio da Catena por dentro (Crédito Azevedo Cartaxo)

 

Mesa preparada para degustação – Catena Zapata

 

Barricas de Carvalho da Catena Zapata (Crédito: Azevedo Cartaxo)

 

Algumas garrafas

 

O almoço na Ruca Malen também foi maravilhoso, pois além da apresentação e sabor dos pratos, a paisagem era um acompanhamento harmonizado!! Ficamos embriagados com a beleza da Cordilheira!

Vista do nosso almoço

 

Nosso Menu

 

Entrada

 

Sobremesa

 

Ao final do dia, passamos na Lagarde. Como chegamos atrasados (demoramos demais na Catena), o monitor não foi paciente na explanação, e ainda trocou os vinhos que compramos, o que somente foi percebido na véspera do retorno ao Brasil.

Crédito: Azevedo Cartaxo

 

Lagarde

 

No nosso segundo dia de imersão nas bodegas, fomos à região de Lujan de Cuyo, visitando a Mendel, Pulenta e Dominio del Plata.

A Mendel é uma bodega boutique, charmosinha e com excelentes vinhos. A guia detalhou o ciclo produtivo da videira, o que enriqueceu a visita, tornando-a muito inressante. Os vinhos desta vinícola possuem  altíssima qualidade, e dificilmente são encontrados aqui no Brasil. O azeite é igualmente maravilhoso!😋

 

Videiras da Mendel

 

Explanação da nossa guia na Mendel

 

 

Tanques de inox da Mendel

 

Tabela de preços Bodega Mendel – Maio 2016

 

A Pulenta Estate, por sua vez, é uma vinícola mais arrojada, com um interessante sistema de degustação, haja vista que utiliza alguns condimentos e alimentos para fazer associações às cegas. Infelizmente a nossa guia estava muito estressada e preocupada com o horário, o que atrapalhou um pouco o clima do momento.

Barricas de carvalho

 

Tanques de inox de última geração da Pulenta

 

Nosso almoço na Dominio del Plata (Susana Balbo) foi  um “Menu Harmonizado de 05 Passos”, cujos pratos eram deliciosos e muito bem decorados. Antes, fizemos um rápido tour pela bodega, cuja paisagem configura  um atrativo extra.

Bodega Dominio del Plata – Susana Balbo

 

 

Tanques e barricas – Susana Balbo

 

Cardápio do almoço

 

Ambiente do nosso almoço

 

Um dos pratos principais

 

Vista da nossa mesa durante o almoço

 

Para quem pretende dar um “up” na adega, sugiro uma visita à Bodega Viña Cobos, que também fica no Vale de Lujan. Não fomos porque a Trout and Wine não trabalha com essa vinícola.

No última dia fizemos um tour pelo Valle de Uco, passando pelas seguintes bodegas:  Corazón Del Sol, Gimenez Riiji e O.Founier.

A Corazón Del Sol é uma bodega pequena e muito charmosa. Fomos recebidos à beira do riacho, onde se iniciou a memorável degustação com um vinho Rosé, que veio direto do tanque de aço inoxidável, e foi resfriado nas cristalinas águas provenientes do  degelo da Cordilheira. Já na sala de degustação, provamos quatro vinhos da linha premium.

Resfriamento do Rosé

 

Nossa mesa

 

Se você quer uma viagem romântica,   hospede-se pelo menos duas noites na vínicola Gimenez Riili. Tudo lindo e aconchegante. Os vinhos são esplêndidos, os da família malbec então….

 

As boas-vindas da Gimenez Riili!

 

 

 

Almoçamos na O. Fournier, no restaurante Urban, provavelmente o melhor almoço, não apenas pela comida, mas também pela imponência do ambiente.

 

Bodega O.Fournier

 

Cava subterrânea para 2.800 barris

 

Urban restaurante – O.Fournier

 

 

Cardápio do almoço

 

 

Uma das opções de prato principal

 

Sobremesa

 

Os vinhos do almoço

 

Vista da nossa mesa

 

Mendoza dispõe de excelentes hotéis. Nós ficamos no Diplomatic, não houve reclamação, o quarto é bom e o café da manhã ótimo. Entretanto, estou certa de que o mais luxuoso é o Hyatt. Analise o que melhor se amolda às suas expectativas.

Para encerrar,  não posso deixar de registrar dicas para um jantarzinho, só não sei se você vai suportar porque durante o dia a comilança é grande!

Restaurante Azafran, Av. Sarmiento 765, Mendoza. Restaurante simples, comida farta, preço justo e a uma carta de vinho fenomenal! Se estiver em grupo, tente reservar a mesa redonda que fica dentro da adega, ela é diferenciada.

.

.

Restaurante 1884 – Francis Mallman – Belgrano 1188 – Godoy Cruz. O Restaurante é fantástico, e os pratos são enormes e deliciosos!

Entrada

Prato principal – Bisteca

 

Sobremesa

Restaurante Club Tapiz, Pedro Molina s/n – Ruta 60 Km 2.5 – Russell Maipú . Ele fica no Hotel Club Tapiz, da bodega Tapiz, um pouco distante do Centro (20 km do nosso hotel). Os pratos são elaborados e saborosos! Para completar, o local é lindo! Se você chegar cedo ainda conseguirá clicar lindas fotos na bodega.😉

 


 

Sobremesa

Pátio do Restaurante

Restaurante Siete Cocinas, Rua Bartolomé Mitre, 794. Duas opções de menu degustação. É uma boa opção para quem está aberto a provar novos aromas, texturas e combinações. Algumas pessoas, com o paladar mais restrito ou rústico, não aprovam esse restaurante. Ele está temporariamente fechado para reforma.

 

Fizemos reserva no Restaurante Q Grill que está localizado no Hotel Hyatt. Contudo, quando chegamos lá descobrimos que estava fechado, e que a reserva tinha sido transferida para o  Restaurante Bistrô M (Rua Chile, 1124) também encravado no Hyatt. Comemos uma ótima bisteca, mas os pratos dos nossos amigos não foram marcantes. As sobremesas estavam sem graça.

 

E aí, vai na mala?